sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Estimulando o desenvolvimento dos filhos


Essa turminha comigo na foto são meus filhos. Da esquerda para a direita: João (7), Claudio (12) e Pedro (14). Além de lindos (óbvio, para toda mamãe), são muito inteligentes. Inclusive os dos mais velhos são superdotados e frequentam a Sala de Altas Habilidades do Colégio Estadual de Campo Mourão/PR.

Desde pequenos sempre procurei estimulá-los de todas as formas possíveis, visando contribuir na construção dos conhecimentos deles, com muita música, brincadeiras, conversas... E muito do que fiz com eles, pratico com meus alunos no dia a dia da escola.

Toda a estimulação feita com eles, foi respeitando o tempo e limite deles, bem como da vontade deles. Não adiantava querer cantar se o que eles queriam era assistir televisão. E o melhor de tudo isso é a interação que tive e ainda tenho com eles, a cumplicidade e a amizade construída ao longo dos anos. Até porque os nossos filhos terão amigos ao longo da vida, mas nenhum deles poderá fazer o que os pais fazem ;)

Cores

Em relação às crianças que têm até 2 anos, os pais durante as brincadeiras podem trabalhar as cores e formas, pedindo que eles repitam as informações:

"pegue aquela bola azul para o papai... repete comigo: bola azul"

"veja, essa bola tem o formato circular, olha como ela é redondinha"

Associe as cores aos diversos objetos familiares à criança, como por exemplo outros brinquedos, roupas, etc. Quando existem essas associações aliadas à repetições por parte deles, as informações vão sendo guardadas e o melhor: com significado e coerência para ela!

Estímulo da fala e da memória

Sempre pergunte como foi o dia da criança, o que ela sonhou durante o sono. Se ela perguntar a mesma coisa a você, responda de acordo com a linguagem dela.

Conte uma pequena história e peça para ela recontar. Quando ela demonstrar facilidade em recontar histórias, aumente o grau de dificuldade pedindo para que ela mude o final da história.

Se a criança tem  dificuldades para falar ou fala num idioma incompreensível, cante muita música com ela. Dê preferência àquelas que são curtas e bem gesticuladas.

Se a criança costuma apontar os objetos, peça para ela dizer o nome e só entregue depois dela falar. Se for o caso, diga o nome do objeto e fale para ela repetir.


Coordenação motora e limites

Ouça música com seu filho e peça para ele te acompanhar com palmas. Músicas agitadas pedem palmas seguidas, músicas lentas pedem palmas espaçadas. Vale também criar coreografias para que ele te acompanhe e ir inserido novos passos quando a criança achar fácil demais.

Coloque numa caixa várias embalagens de garrafas vazias (refrigerante, suco, remédio, produto de limpeza) para que a criança tirem e coloquem as tampas. Lógico, todas as embalagens devem estar bem higienizadas.

Dê uma folha de sulfite para seu filho rabiscar, mas estabeleça limites. Por exemplo, desenhe um quadrado na folha e diga que ele só pode pintar dentro do quadrado.

Massa de modelar é uma ótima ferramenta para desenvolver a coordenação motora fina da criança, modele bonecos, bolas, minhocas e o que vier à mente, estimulando-os a fazer o mesmo.


Postagem anterior
Próxima postagem

Elaborado e escrito por:

Pedagoga, artesã, adepta da paleo, crossfiteira, esposa e mãe. Criatividade à flor da pele. 

1 comentários: